Blog de comunicación del Escolasticado Latinoamericano Sacramentino

Se ha producido un error en este gadget.

martes, 19 de abril de 2011

Colômbia não se esquecerá de João Paulo II

João Paulo II deixou uma marca indelével na Colômbia, que o país está recordando por ocasião da beatificação do Papa, data que coincide com os 25 anos da visita que Karol Wojtyla realizou a essa nação.


Entre os impulsores das comemorações deste simbólico aniversário, destaca-se o embaixador da Colômbia junto à Santa Sé, César Mauricio Velásquez, promotor do primeiro fórum convocado em Bogotá, em homenagem ao eminente beato, inaugurado pelo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, em 3 de março.


O objetivo desta iniciativa, segundo o representante colombiano no Vaticano, é promover a mensagem deixada pelo Papa polonês a todas as pessoas de boa vontade.


"No mês passado, eu visitei a maioria dos lugares onde ele esteve - explicou a ZENIT. Encontrei-me com prefeitos, governadores, bispos, reitores de universidades e colégios, para reavivar sua figura. O carinho pelo Papa é imenso. Em diferentes partes do país, serão inauguradas obras públicas, escolas, igrejas e parques em sua honra."


João Paulo II, homem de Deus


João Paulo II foi "um Papa que soube amar a todos - explica. Um amigo exigente e compreensivo. Um intelectual importante do século XX, estudioso e profundo. Um homem de Deus, que passava muitas horas em oração. Era um enamorado da vida".


"Viveu em grau heroico as virtudes humanas - continua recordando. Sincero, leal, trabalhador, responsável, piedoso, caridoso."


Em especial, o diplomata citou uma cena que o tocou profundamente nesse pontificado: "Em uma viagem ao Brasil, ele entrou numa casa pobre de São Paulo e as pessoas que estavam lá, algumas crianças, pediram-lhe ajuda material; ele, depois de orar, tirou o seu anel pontifício, a única coisa de valor que carregava, e o deixou nas mãos da mãe daquelas crianças".


O Papa dos recordes e da oração


"Realmente foi o Papa dos grandes recordes, mas fiquei impressionado por ele ter sido um dos papas que mais dedicou horas e horas à oração, diante do Sacrário. De lá, ele extraía todas as suas forças, bem como da Missa que celebrava todos os dias."


"Em Cali, por exemplo, ele foi visto à 1h da manhã na capela do Seminário, recolhido em oração, e ficou assim até às 2h da manhã, enquanto todos descansavam em meio a longos dias."


O embaixador concluiu: "Nós, que tivemos a sorte de conhecer João Paulo II, agora temos o feliz dever de dá-lo a conhecer em todos os ambientes. Foi um Papa que soube amar, um amigo exigente e compreensivo, um dos mais importantes intelectuais do século XX, um homem de Deus. Um visionário que usou novas formas de comunicação para transmitir a essência do Evangelho e da doutrina cristã. Ele permanecerá na história como o grande defensor da vida e da sua dignidade".


Fonte: ZENIT

No hay comentarios:

Publicar un comentario