Blog de comunicación del Escolasticado Latinoamericano Sacramentino

Se ha producido un error en este gadget.

lunes, 20 de diciembre de 2010

Uma prece ao coração

Haja fascínio nutrindo tuas ilusões.

Haja sabedoria potencializando teus pensamentos.

Haja imaginação perseverando tua inventividade.

Haja solidariedade abonando tuas carências.

Haja mais valores discernindo teus consumos.

Haja luz clarificando a densidade de teus desânimos.

Haja bem-estar da alma extasiando-te de sorrisos vitoriosos.

E, acima de tudo, haja fé em Deus para, em tua vida, pronunciares um grande e enaltecido AMÉM.

Pois, sabemos que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus, dos que são chamados segundo seu desígnio (Rom 8, 28).
Ir. Gleidson, SSS

Meditando

Quais as minhas disposições e motivações para tornar célebre uma ocasião?


Como atribuo sentido diante dos momentos celebrativos da vida?


Desejaria comemorar alguma circunstância que ainda não foi possível? Por quê?

Que tal deixar registrado por escrito suas experiências de fim de ano e convertê-las em uma grata oração diante do Senhor?

domingo, 19 de diciembre de 2010

Celebrar o Natal como glorificação de Deus, que nunca deixa de honrar a humanidade com a bênção promissora de seu Filho, através de seu Espírito; como a festa da existência divina se encarnando nas urgências humanas para inundarmos da sabedoria do re-nascimento de cada dia; como uma solenidade eucarística a nos ensinar que o mais elementar e profundo está na simplicidade das coisas e, a partir delas, recuperarmos nossa habilidade de crer e apostar no lado bom e excelso da vida.

Celebrar um novo ano que se inicia com novas vias a serem exploradas, no aventurar de fluídos 365 dias possíveis de se construir um estado de coisas diferentes, firmado por uma autêntica dedicação entre todas as criaturas. Aprendamos com o entusiasmo dos enamorados que se desejam em sintonia de uma fidelidade amorosa. Amar alguém nos ajuda a exercitar a valiosa ação de entregar-se sem limites para tornar o outro uma pessoa genuinamente bem-aventurada.

Enfim, celebrar o espetáculo da vida que há por detrás das singelas aparências como, por exemplo, na discreta chegada de um passarinho a cantar na janela de nosso jardim interior, inspirando frescor de liberdade revitalizando nossas energias. O inaugurar de um novo dia é uma nova oportunidade de podermos exclamar que estamos vivos; apesar de todo sofrimento, de toda a dificuldade e de todos os desencontros, próprios de nossa vulnerabilidade, somos seres sustentados pela qualidade de nossas esperanças.
Ir. Gleidson, SSS

lunes, 13 de diciembre de 2010

Celebrar a beleza de um encontro familiar que não economiza afetos para acalentar nossos corpos e aquecer nossa alma, assim como a sagrada intimidade das refeições maternais dispostas com sobriedade e sinceras nuanças de amor. A família é lugar de celebrar a memória das gerações, preservando sua identidade no reviver de suas tradições e no atualizar de seus contextos. Não percamos tempo em ajudá-la no florescimento de seus valores, sobretudo da confiança transparente e recíproca, para que não se oculte a alegria transbordante e deliciosa de um legítimo lar, doce lar.
Celebrar a bravura dos que defende a integridade de nossa sociedade com o grito de liberdade e a responsabilidade efetiva, especialmente em favor daqueles que está ao nosso lado, enganados e violados pela injustiça. Celebrar a meritória ousadia de quem denuncia os desatinos pontuais de alguns que atrasa o acesso à dignidade integral para todos. Pessoas assim, pouco a pouco, dão vida aos pequenos mundos que sonham em transformar os destinos de um mundo maior, bem mais equitativo, solidário e, por isso mesmo, completo.
Ir. Gleidson, SSS

martes, 7 de diciembre de 2010


Celebrar o cultivo de uma boa relação através de uma agradável visita, do carinho em receber um detalhe, da emoção de um telefonema, do compartilhar um jantar, do calor da palavra de um amigo, de uma deleitosa conversa num barzinho, etc. Não seria exagerado reconhecermos que uma boa afinidade entre nós é o reflexo de um verdadeiro culto, uma forma de orar o divino se revelando também em múltiplos espaços.

Celebrar um ontem arrebatado de utopias, um hoje vivido com a singeleza de um pão matinal ao levantar da aurora, e um amanhã multiplicado de gratidão. Saibamos dar um toque magnânimo à memória de tempos idos e aos dias contemporâneos, celebrando igualmente a certeza de que ainda haverá ocasiões para fomentar a leveza poética e compassiva de Deus onde esta ainda não foi assimilada.

Celebrar o regozijo daqueles que superam o temor de suas fragilidades, e encontram na reconciliação pessoal e fraternal uma maneira de se purificar e livrar-se dos pesos e das mágoas carregados durante muito tempo. Descobrem que somente unidos é que aprendem a abrir-se para novas intuições e, desta maneira, a ser um pouco melhores em suas escolhas e condutas.
Ir. Gleidson, SSS

viernes, 3 de diciembre de 2010

Celebrai!

Por Ir. Gleidson, SSS
Os dias cursam como instáveis rios da vida, dando movimento ao tempo que se arrasta insistente junto aos barcos de ilusões cotidianas, à procura das encostas de suas satisfatórias realizações. Assim seguimos, sustentando essa corporeidade criada continuamente pelo toque do Criador, beijando a natureza de nossos lábios existenciais, travestindo de significação cada momento vivido e ainda por viver.
Em tempos natalinos é perceptível a proximidade de um dilatado período celebrativo. Uma ocasião repleta de sentimentos que reclama ser preparada com generosidade e sensibilidade de coração. A própria etimologia latina da palavra “celebrar” (celebrare - expressa um ato de solenizar, de festejar, de exaltar uma determinada realidade) nos ajuda a reconhecer que todos nós necessitamos de um ritmo celebrativo, algo de sagrado se desvelando na ritualidade humana, em seus motivos, em seus contextos e em suas relações.
Fato é que, muitas vezes, não nos dispomos a apreciar a fundo e com cuidado essa privilegiada temporada de comemorações incidindo em cada detalhe de nossa história. O desgaste do afã diário, as emoções feridas, o incômodo da solidão, a cobiça material, o excesso de tecnologias, a impressão de vazio espiritual e tantos outros estorvos e dissabores, diariamente, ofuscam nosso ser e nos desagradam com a efemeridade do sem-sentido da vida.
É sensato não nos esquivarmos em tomar consciência de que nem sempre estaremos afeitos a estabelecer uma síntese contemplativa e reflexiva do que constantemente se passa com nossa capacidade de encantamento.
Mas não podemos deixar que o fluxo ordinário dessa vida, da qual somos responsáveis, arrefeça seu célebre sentido de existência neste mundo extraordinário idealizado por Deus. Ainda que possa parecer mero devaneio, e para além das circunstâncias a que chegamos, não resta dúvida de que nossa vida é especial e por isso necessitamos vivê-la nobremente. Daí a importância de celebrá-la em tantas ocasiões, que conferem uma pródiga alegria e brilho aos nossos dias. Simples assim, seja pelo motivo do Natal ou das festas de Fim de Ano, o importante é não desperdiçar a oportunidade de estar com os mais queridos, estimulando e fortalecendo os laços e seus efeitos, ritualmente acontecendo em cada vivência.
Assim sendo, meus apreciados seres humanos, experimentemos celebrar:
Continua...