Blog de comunicación del Escolasticado Latinoamericano Sacramentino

Se ha producido un error en este gadget.

jueves, 13 de mayo de 2010

MENSAGEM DE NOSSA IRMA EPIANE


Queridos irmãos da família Sacramentina:

Profundamente agradecida a Deus por ter a presença sacramentina em minha vida e como uma forma de celebramos este 154º aniversário de fundação da Congregação, partilho com vocês um fragmento do vol. 1 das "Obras Completas". Que possamos render graças a Deus sempre e em especial hoje.

Da fundação à aprovação (1856- 1863)
"Pe. Eymard chega a Paris em 30 de abril de 1856. Para maior liberdade, ele não se hospeda na comunidade marista. Em 1º de maio, entra em retiro e confia sua causa ao arcebispo, Monsenhor Dominique Sibour, que encarrega seu auxiliar e primo, Monsenhor Leon Sibour, de estudar o dossiê. Ao final de muitos encontros, a resposta do arcebispo é negativa: ele julga a obra meramente contemplativa. O Pe. Eymard replica: “Nós queremos adorar, mas nós queremos também fazer adorar”.

E ele evoca seu projeto da Obra da Primeira Comunhão de adultos. Monsenhor Sibour foi conquistado. Imediatamente e sem demora, recebe Pe. Eymard e seu companheiro, Pe. Cuers, e lhes dá toda a autorização para começar a obra projetada. Desta forma, em 13 de maio de 1856, é assinado o ato de criação da Congregação do Santíssimo Sacramento. No dia seguinte, Pe. Eymard é dispensado de seu engajamento junto aos maristas. Apesar das relações com a sociedade de Maria terem se distanciado, ele estará sempre unido a ela de coração. Ele estava convencido de que Maria o conduzira à Eucaristia.

O começo foi muito difícil. O arcebispo colocou à disposição da obra uma propriedade situada à Rua d’Enfer, 114 (hoje av. Denfert-Rochereau, 88 no 14º), mas sob condições precárias. Desconhecido em Paris, Pe. Eymard está sem relações, sem recursos e sem vocações. Realizando os preparativos, ele espera mais de seis meses por vocacionados para formar uma comunidade. Em 6 de janeiro de 1857, ele inaugura a primeira comunidade adoradora com a exposição do Santíssimo Sacramento, a sociedade conta com quatro membros.

É em meio à pobreza e carência que a vida se organiza. Depois progressivamente, a comunidade vai crescendo. No final do ano, o arcebispo coloca a propriedade à venda. Eymard, sem recursos, não pode sonhar em adquiri-la; é preciso pensar na mudança. Finalmente, ele encontra no mesmo bairro, ao lado do Observatório, uma propriedade dupla e separada, à Rua do Faubourg Sain-Jacques, 66 e 68. Após organizar o imóvel, a comunidade se muda na Páscoa de 1858. Eymard restaura o imóvel do nº 66, e no mês de maio de 1858, ele acolhe Marguerite Guillot e duas companheiras para prepararem a fundação do ramo feminino.
Com a ajuda de leigos, de confrades das Conferências de São Vicente de Paulo, ele reúne jovens aprendizes do bairro que não tiveram oportunidade de serem catequizados, e ao preço de uma longa paciência, ele lhes prepara para a primeira comunhão. Em 15 de agosto de 1859, ele tem a alegria de dar a comunhão a doze jovens; no dia seguinte eles são crismados. Assim nasce e se desenvolve, no bairro da barreira d’Arcueil, um dos mais pobres de Paris, a Obra da Primeira Comunhão de adultos. No mês de dezembro, ele se dirige a Roma na companhia de Pe.de Cuers e, em 5 de janeiro de 1859 Pio IX assina a carta pastoral de seu Instituto.

Nesse mesmo ano, em 8 de novembro de 1859, chamado pelo Monsenhor e Mazenod, ele inaugura em Marselha uma segunda comunidade e a confia ao Pe. de Cuers. Rapidamente a Agregação do Santíssimo Sacramento, que associa os fiéis à obra da adoração, conhece um crescimento considerável. Três anos mais tarde, em 29 de dezembro de 1862, ele funda uma terceira comunidade, ele empreende algumas tentativas para solicitar de Pio IX a aprovação pontifícia de seu Instituto. Ele se dirige, uma segunda vez a Roma e, em 3 de junho de 1863, ele recebe de Pio IX o decreto de aprovação com data de 8 de maio".

No hay comentarios:

Publicar un comentario